segunda-feira, 20 de setembro de 2010

De Bicicleta por Torres Vedras...

Na passada sexta-feira foi apresentado o Plano da Rede de Ciclovias Urbanas de Torres Vedras.

Integrado na apresentação dessa iniciativa do município local teve lugar, nessa manhã, um passeio de bicicleta, com a duração de cerca de 2 horas e num percurso de 10 quilómetros à pelas ruas da cidade.

Fomos acompanhados, por responsáveis da câmara por esta iniciativa e também por Paulo Guerra dos Santos que, há quase cem dias, anda a fazer uma volta a Portugal em bicicleta, que está prestes a acabar.

O diário da sua viagem pode ser lido AQUI.

PAULO GUERRA DOS SANTOS -dar a Volta a Portugal em Bicicleta em Cem Dias.

 
Uma das condições era que cada participante se deslocasse com o seu vestuário normal, sem o aparato que é habitual nestas coisas, onde os ciclistas ( de fim-de-semana) se equipam como se fossem  para a “Volta à França”…

Aqui por Torres Vedas saímos da zona norte do parque da Várzea, seguimos até à “rotunda do Modelo” ou dos sobreiros, subimos à “Madeira Torres”, continuamos pela “Teresa de Jesus”, descendo-a até ao tribunal, entrámos na zona de Santiago, até ao choupal. Daqui subimos ao Arena ( e que subida…ufa!), atravessamos a antiga zona industrial de Arenes, passámos junto ao aqueduto, seguimos em direcção ao cruzamento junto à ponte ferroviária até ao novo Mercado Municipal. Aqui “reabastecemo-nos” (o “reabastecimento” foi devidamente “documentado” e “divulgado” no facebook pela minha amiga Ana Miguel…) regressando à segunda parte da viagem. Subimos a “9 de Abril”, continuando para sul, cortando em direcção à “Henriques Nogueira”, descendo a rua do mesmo nome, contornando a câmara, subindo o alto de S. João até à “rodoviária” e, subindo a Humberto Delgado, outra zona difícil na subida e, principalmente, no trânsito. Deu para perceber o incómodo dos estacionamentos em segunda fila…

A partir da zona da “física” o percurso foi mais fácil, passando junto ao “hospital”, até à “rotunda dos cavalos”, descendo até ao “macdonald” e entrando no Parque da Várzea pela zona sul, terminando aqui este agradável passeio.

Ficou provado que é possível andar em Torres Vedras de bicicleta, sem grandes problemas. Agora é uma questão de vontade política, por um lado, e de cidadania, por outro.

Hoje em dia, o nível de desenvolvimento de um país mede-se pela forma como se consegue reduzir o trânsito particular de automóveis e não tanto, como antigamente, pelo maior quantidade de veículos per capita.










1 comentário:

Méon, disse...

Belo texto, em contraponto com o espectáculo diário dos paisinhos a virem de automóvel trazer os meninos à escola.
Deprimente, no mínimo. É ver as ruas de T Vedras às 8H15 da manhã.
Esta gente acha que se os meninos vierem a pé correm riscos como se atravessasem a Segunda Circular em hora de ponta ou o Parque Eduardo VII às duas da manhã!

Vir da Gen Humberto Delgado para a Conquinha, ou da zona do novo Mercado para o Modelo é, para esta burguesia de meia tigela como se tivesse de atravessar a Namíbia! Todo o dia é ver gente nova, armada em tias da Caras ou em empresários da Negócios, de brutos carros, a pararem em fila dupla ou a entupirem os cruzamentos...
De fugir!
Só vão andar de bicicleta quando os modelos dessas revistas descobrirem que em Roma ou em Amsterdão as pessoas civilizadas não andam de carro a toda a hora!!!