terça-feira, 29 de setembro de 2009

Em época de campanha eleitoral - Dez Sugestões para Debater a Cidade



Ao ter hoje início a campanha eleitoral para as eleições municipais, gostava de dar o meu contributo para este tempo de debate, apresentando Dez temas que gostaria que entrassem na campanha (a ordem dos mesmos é arbitrária):


1 – Torres Vedras, cidade respirável – desenvolver uma rede de ciclo vias, ligando vários pontos da cidade e, principalmente, a cidade e vários pontos do concelho, melhorando as já existente (que precisam de ser revistas nalguns troços) e aproveitando as condições dos vários vales do concelho, nomeadamente o vale da cidade, o percurso dos rios Sizandro e Alcabrichel e o vale de Runa.

2-Torres Vedras, cidade da Fotografia – a fotografia e os fotógrafos estão presente na cidade desde os primeiros tempos da sua existência. Seria fundamental criar um ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL, que recolhesse o máximo de espólio existente em instituições ou que fosse doado por profissionais do sector e por particulares, dinamizando um espaço de divulgação dos artistas desta arte, do presente e do passado.

3 – Torres Vedras, cidade da imprensa – Criação, quanto a mim urgente, de uma Hemeroteca, independente do Arquivo Municipal e da Biblioteca, reunindo, divulgando e preservando não só a já longa lista de publicações periódicas do concelho, como um vasto espólio, existente na Biblioteca Municipal, mas com pouco uso, de jornais e publicações periódicas nacionais.

4- Torres Vedras, terra da Contemporaneidade – A criação, prevista, de um centro de interpretação histórica das Linhas de Torres Vedras e de um Museu do Carnaval, devem apostar num objectivo mais abrangente já que, no primeiro caso, foi com a Guerra Peninsular que Torres Vedras entrou na época Contemporânea e, no segundo caso, foi com o Carnaval que se revelaram muitos dos artistas torriense contemporâneos. Por isso aqueles espaços não podem ser pensados estritamente para o tema que está na sua origem, mas devem desenvolver outras valências. (podiam integrar o Arquivo Fotográfico e a Hemeroteca acima referidos).

5-Torres Vedras, cidade do Cinema – criação de um festival, anual ou bianual, de cinema, explorando uma temática ainda rara em festivais de cinema portugueses. Em tempos cheguei a propor que essa temática fosse O CINEMA E A HISTÓRIA. Para além de uma longa tradição de interesse pelo cinema, Torres Vedras tem actualmente espaços, públicos e privados, preparados para receber uma tal iniciativa.

6 – Torres Vedras, cidade da Arqueologia – o concelho é rico em vestígios arqueológicos das mais variadas épocas, desde a pré-história á Idade Média, passando pela época romana. Nas últimas décadas têm-se dado grande avanços no conhecimento arqueológico do concelho, mas, muitas vezes, não se dá a devida visibilidade a essas descobertas. Por outro lado, parte dessas novidades restringe-se a locais há muito explorados e conhecidos, como o Castro do Zambujal. Seria importante pegar nos registos de Aurélio Ricardo Belo e Leonel Trindade e começar a fazer um levantamento sistemáticos das muitas centenas de sítios que eles referem, sem que, depois deles, se tivesse voltado a estudá-los, e desenvolver novas e sistemáticas campanhas arqueológicas. Seria importante também alargar essas campanhas à Idade Média, nomeadamente à época muçulmana, tão ignorada neste concelho.

7 – Torres Vedras, cidade dos Transportes Públicos – É necessário incentivar o uso de transportes públicos, para isso é necessário melhorar os horários, os percursos e as informações . Dentro da cidade só se consegue convencer os cidadãos a recorrerem aos transportes públicos se não tiverem de ficar mais de 15 minutos à sua espera.

8 – Torres Vedras cidade ferroviária – Muito deve esta cidade ao transporte ferroviário. Mas, infelizmente, nas últimas décadas muito pouco se tem feito para pressionar a CP a respeitar os habitantes desta região. Hoje, quando se prevê que o caminho-de-ferro vai ser o transporte do futuro e o seu desenvolvimento venha a ser cada vez mais um sinal de modernidade, a Linha do Oeste continua com horários, percursos e velocidades que, em muitos casos, são piores que há trinta anos atrás. É necessário que Torres Vedras, juntamente com todos os concelhos servidos pela Linha do Oeste, contribuam para a sua modernização.

9 – Torres Vedras, cidade pedonal – Hoje é cada vez mais evidente que a degradação das cidades se deve muito à dificuldade dos seus habitantes em se deslocarem a pé. Os automóveis invadem todos os espaços e impedem uma vivência saudável da cidade. Ao contrário do que alguns comerciantes ainda defendem, a criação de áreas pedonais incentiva a frequência do comércio local. A sua decadência prende-se com outras situações, como a proliferação de grandes superfícies e a falta de modernização de muito desse comércio local. Incentivar e aumentar as ruas de exclusividade pedonal, coma excepção de ciclo vias, é uma maneira de incentivar a vivência de uma cidadania saudável.

10 – Torres Vedras, cidade da Música – Nos últimos anos a cidade tem conhecido uma dinâmica assinalável nesta área, com escolas de música e espectáculos dos mais variados géneros musicais. O que falta é reforçar e divulgar melhor algumas dessas iniciativa e, principalmente, manter a continuidade dessas actividades, pois só assim se consolida um público e se conquista qualidade.



Nos tempos que correm, as cidade só podem garantir o seu desenvolvimento económico e social se reforçarem a sua identidade e a melhoria da sua qualidade de vida.

Em Torres Vedras alguma coisa tem melhorado nesse sentido, mas há ainda muito a fazer, e as nossas sugestões visam apenas incentivar o debate sobre o caminho e a identidade que esta cidade quer para si.

1 comentário:

Luís Filipe Cristóvão disse...

Venerando,

o que acabas por expor aqui é que a verdadeira reflexão sobre a cidade de Torres Vedras e o seu concelho não está nas listas que concorrem à eleição mas nas pessoas que se ocupam a pensar a cidade.

A verdade é esta: é necessária a criação de um movimento que traga esta reflexão para a discussão, em lugar de esperarmos que as máquinas partidárias tragam alguma inovação ao concelho.

fica aqui, desde já, o meu repto!